Mudança de humor na gestação

Pela manhã, a alegria impera na casa de uma gestante, que acorda e faz um lindo café da manhã para o marido que vai trabalhar. No meio da tarde, a futura mamãe chora compulsivamente ao ver um comercial de bebê. Já pela noite, a mamãe grávida discute de maneira irritada com o papai por causa da cor do berço do bebê. Um dos grandes vilões por essas oscilações bruscas de humor na gestante são as mudanças hormonais. A grande maioria das mulheres conhece as alterações que o corpo e o humor sofrem com a TPM (tensão pré-mestrual). O ovário antes da menstruação produz dois hormônios responsáveis pela preparação do corpo para receber um bebê: a progesterona e o estrogênio. Quando o óvulo não é fecundado, acontece a menstruação, mas a produção desses hormônios é o bastante para causar as irritações, sensibilidades e choros da “famosa” TPM, que passa quando acontece a menstruação e os hormônios voltam para a sua taxa de normalidade.

O tal HCG – Quando esse óvulo é fecundado, o hormônio HCG (gonadotrofina coriônica) é produzido e jogado na corrente sangüínea. É esse hormônio que acusa a gravidez nos testes de sangue realizados para se descobrir a gravidez. Ele é produzido somente nas mulheres que tem o óvulo fecundado e tem a função de relatar ao corpo da mulher que tem um bebê em formação e que os hormônios progesterona e estrogênio devem ser produzidos em maior quantidade.

O progesterona e o estrogênio são um dispositivo do organismo da mulher para a proteção da gravidez, sem eles uma gestação não aconteceria. Como ninguém é perfeito (nem mesmo os hormônios), esses hormônios têm um efeito depressivo, deixando a mulher mais sonolenta, cansada e desanimada. A produção do progesterona aumenta 15 vezes durante a gestação e a do estrogênio quase 20 vezes. Daí nota-se inúmeras alterações no humor.

Os vilões da história não são só as mudanças hormonais. As mudanças físicas também ajudam nas alterações de humor. Pés inchados que obrigam a grávida trocar seus sapatos por até dois números a mais que o real, aquela calça que a mulher adora não serve mais, por mais esforço que ela faça. Dores na coluna que nunca apareceram agora acontecem pelo peso extra da barriga, e o tamanho da barriga deixa os movimentos da gestante mais lentos ou até impedem que ela faça algum que deseja.

Ansiedade, alegria de ser mãe e sentir-se poderosa, preocupações com a formação do pequeno serzinho que se forma dentro do seu corpo, imaginando como será o seu futuro e do seu filho e como será a sua carreira e o seu casamento daqui para frente são sentimentos que fazem qualquer humor subir e descer rapidamente.

O melhor é entender o que se passa com seu corpo durante toda a gestação e pedir ajuda para quem está mais perto como o marido ou mesmo de um profissional para amenizar todas essas alterações que acontecem.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *