Saiba qual o poder dos super-herois na vida de nossos pequenos

Super-Homem, Homem-Aranha, Batman, Mulher-Maravilha…

Os super-heróis dos desenhos e histórias em quadrinhos e os heróis e heroínas dos contos de fadas são muito presentes na vida das crianças, assim como foram na sua infância. 

Mas, afinal, qual é o poder desses heróis na vida dos pequenos?

É nessa relação da criança com os super-herois que são plantadas as sementes de  valores, como ética, coragem, humildade. Nos contos de fadas os heróis são os mais humildes e bondosos da família ou da aldeia. São os que aceitam enfrentar a perigosa tarefa que irá salvar o reino, a cidade, a princesa…

Observei que quando estimulado a construir uma história o Pedro, meu filho,  foi de encontro com seu super-homem, com etapas que vão até o momento em que se transforma em herói. Nos enredos inventados por ele, o herói não aparece somente poderoso, mas aquele também em seus momentos de fraqueza e medos.
Essas fragilidades abrem uma brecha para o processo de identificação com o herói, e na maioria de suas histórias, ele tira o herói da dificuldade e se torna seu aprendiz, rsrsrs
E os vilões, que seriam o lado do mal da história, valorizam ainda mais a razão de ser do herói. Eles são importantes para que a criança saiba que o mal também existe, colocando em pauta o lado invejoso, vaidoso, egoista, violento…
Se você tem receio de como as lutas entre o bem e o mal que habitam as histórias podem incentivar a violência, saiba que elas são benéficas ao ensinar que até mesmo num conflito é possível ser ético.
Porém, ao final de suas histórias, quando os heróis são recompensados, tento mostrar-lhe
que o “bem” pode triunfar.
Não se assuste se um dia o seu filho resolver que só vai atender a um chamado seu se você se referir a ele como “Batman”.
E saiba que a presença dos pais, é fundamental no mundo imaginário da criança.

 

Maquiagem faz mal para pele da criança sim !

A maquiagem ressalta a beleza e encobre algumas imperfeições.  Embora muito presente no dia a dia das mulheres, o hábito de se maquiar deve ser evitado por crianças.

Cada vez mais, meninas dos cinco aos doze anos utilizam cosméticos diariamente.

A maioria utiliza produtos da mãe que são indicados para peles adultas

Nesta fase da vida, a pele está em constante transformação e o uso precoce pode provocar sérias alergias em forma de coceiras e vermelhidão.
Outro problema dessa utilização indevida da maquiagem é o fato das crianças não terem o cuidado e a preocupação de remover o make que tapa os poros e impede a respiração correta da derme.
Além de queimar etapas na infância e estimular o desenvolvimento precoce da sexualidade
A médio e longo prazo, a pele poderá desenvolver acne cosmética, antecipando um quadro que só deveria ter início na adolescência, com os primeiros ciclos menstruais
Impedir que as filhas se maquiem é difícil para os pais, mas regular a quantidade de vezes que isso acontece é essencial para a saúde da pele.
Batons à base de frutas e do tipo gloss podem ser utilizados, pois apresentam pouca durabilidade quando aplicados e suas fórmulas são mais leves e menos irritativas
Uma brincadeira hora ou outra faz parte, mas é fundamental que a mãe esteja atenta e acompanhe essa fase, sem proibir nem estimular o uso da maquiagem. Desde que seja apenas uma brincadeira dentro de casa, de vez em quando, não tem tantas consequências. Lembrando sempre de limpar o rosto da criança quando a brincadeira terminar.
Por essas e outras mamães, que devemos ensinar a nossas meninas que tudo tem seu tempo.

 

A importância da interação com a natureza

É apenas desse tempo que você precisa para melhorar a saúde, aumentar a auto-estima e deixar a família toda de bom humor. Segundo um novo estudo britânico, fazer atividades em contato com a natureza por, no mínimo, 15 minutos garante todos esses benefícios. E não precisa ser apenas exercícios físicos. Vale qualquer atividade ao ar livre – jeito gostoso de cuidar da saúde, não é mesmo? Continue lendo

Consumismo infantil, um grande problema.

Ninguém nasce consumista. O consumismo é uma ideologia, um hábito mental forjado que se tornou umas das características culturais mais marcantes da sociedade atual. Não importa o gênero, a faixa etária, a nacionalidade, a crença ou o poder aquisitivo. Hoje, todos que são impactados pelas mídias de massa são estimulados a consumir de modo inconseqüente.  As crianças, ainda em pleno desenvolvimento e, portanto, mais vulneráveis que os adultos, não ficam fora dessa lógica e infelizmente sofrem cada vez mais cedo com as graves conseqüências relacionadas aos excessos do consumismo: obesidade infantil, erotização precoce, consumo precoce de tabaco e álcool, estresse familiar, banalização da agressividade e violência, entre outras. Nesse sentido, o consumismo infantil é uma questão urgente, de extrema importância e interesse geral. As crianças sentem-se mais atraídas por produtos e serviços que sejam associados a personagens famosos, brindes, jogos e embalagens chamativas. A opinião dos amigos também foi identificada como uma forte influência. Não é por acaso que o consumismo está relacionado à idéia de devorar, destruir e extinguir. Se agora, tragédias naturais, como queimadas, furacões, inundações gigantescas, enchentes e períodos prolongados de seca, são muito mais comuns e freqüentes, foi porque a exploração irresponsável do meio ambiente prevaleceu ao longo de décadas.

Vamos ficar mais atentos de como estamos direcionando nossa idéia de consumismo que seja como exemplo pra essa galerinha que aprende tudo que ensinamos…

ICTERÍCIA

  

Quando minha caçulinha nasceu, depois de tres dias em casa notei que estava ficando amarelinha. A levei na pediatra que imediatamente a internou para o banho de luz. Nossa, voltei pra casa  arrasada sem “meu pacotinho”. Parecia que haviam me dado um super presente e pêgo de volta. Voltamos eu e meu marido em silencio absoluto pra casa. Foi difícil demais deixa-la no hospital e voltar sem ela. Só ai, fui pesquisar e entender melhor sobre o assunto :  Continue lendo