Maquiagem faz mal para pele da criança sim !

A maquiagem ressalta a beleza e encobre algumas imperfeições.  Embora muito presente no dia a dia das mulheres, o hábito de se maquiar deve ser evitado por crianças.

Cada vez mais, meninas dos cinco aos doze anos utilizam cosméticos diariamente.

A maioria utiliza produtos da mãe que são indicados para peles adultas

Nesta fase da vida, a pele está em constante transformação e o uso precoce pode provocar sérias alergias em forma de coceiras e vermelhidão.
Outro problema dessa utilização indevida da maquiagem é o fato das crianças não terem o cuidado e a preocupação de remover o make que tapa os poros e impede a respiração correta da derme.
Além de queimar etapas na infância e estimular o desenvolvimento precoce da sexualidade
A médio e longo prazo, a pele poderá desenvolver acne cosmética, antecipando um quadro que só deveria ter início na adolescência, com os primeiros ciclos menstruais
Impedir que as filhas se maquiem é difícil para os pais, mas regular a quantidade de vezes que isso acontece é essencial para a saúde da pele.
Batons à base de frutas e do tipo gloss podem ser utilizados, pois apresentam pouca durabilidade quando aplicados e suas fórmulas são mais leves e menos irritativas
Uma brincadeira hora ou outra faz parte, mas é fundamental que a mãe esteja atenta e acompanhe essa fase, sem proibir nem estimular o uso da maquiagem. Desde que seja apenas uma brincadeira dentro de casa, de vez em quando, não tem tantas consequências. Lembrando sempre de limpar o rosto da criança quando a brincadeira terminar.
Por essas e outras mamães, que devemos ensinar a nossas meninas que tudo tem seu tempo.

 

O processo de aprendizagem acontece devagar, e depende de muito bom senso.

Mochila nova, sanduíche e fruta, lição, choro, amigos, festas, crescimento, aprenderes, novos quereres. Difícil resumir tudo que vem à mente quando o assunto é volta às aulas. As decisões práticas se misturam às emoções e às descobertas (para você e para o seu filho). Chegam também um novo machucado, o resfriado do mês, a notícia daquela briga com um colega. E a rotina precisa estar organizada: como ele vai e volta da escola, ideias para variar as opções da lancheira, preparar o canto da lição de casa, comparecer às reuniões e festas da escola. Com a reforma ortográfica ( e a volta às aulas ) muitos pais podem ficar confusos. Afinal, como fica a aprendizagem das crianças em fase de alfabetização? Nesta fase a criança ainda não precisa ser cobrada por uma firmeza ortográfica, mas sim, deve ter liberdade para escrever da maneira com que sente, não importa se hífen é escrito como ifem. E ela não deve se sentir ofendida ou humilhada por escrever dessa maneira. O que vale é ser compreendida. Quem não pode fazer bobagem e se apressar é o professor, que deve agir com bom senso e deixar o “barco correr