Beleza na gestação

Quando a mulher descobre que está grávida, duas heroínas passam a povoar o inconsciente das mulheres. Uma é a Virgem Maria, símbolo da abnegação e pureza da maternidade. A outra é Eva, fêmea tão sensual que fez o primeiro homem da Criação perder a cabeça. Até pouco tempo atrás, a imensa maioria das mulheres grávidas era vista como Maria. Ou seja, deixava aflorar o lado mãe, rechaçando completamente sua porção “fêmea”. Hoje, as coisas estão mudando. As barrigudinhas não abandonaram o seu ar angelical mas também não dispensaram o direito de continuar sendo vistas – mais do que nunca – como mulheres completas. Querem ser Evas. Hoje, a mulher abandonou os famosos “modelitos” próprios para gestantes: com babadinhos e fitinhas cor-de-rosa, completamente não-femininos. E adotou um visual mais “clean”: com roupas sensuais e até ousadas. A mulher sabe que a barriga é o espaço do bebê, mas pode e deve ser uma barriga bonita. As suas formas permitem até o uso de mini blusa e biquínis. Para conservar-se bela durante todo o período de “espera”, valem algumas regras: nunca fazer regime durante os 9 meses, esquecer o conceito de “comer por dois” e, principalmente, fazer uma alimentação equilibrada com 6 pequenas refeições diárias e muita água. Em termos estéticos, nem é preciso lembrar que a gula durante a gravidez é o detonador de transtornos como flacidez no busto, inchaço nas pernas, varizes, estrias e celulite. De acordo com especialistas, o ganho de peso durante a gravidez deve flutuar entre 4 e 10 quilos. Para se ter uma idéia, um bebê considerado grande representa apenas 3,5 quilos dentro da “engrenagem” da gestação. Continue lendo